Notícias

15/05/2018 08:04:04

Estudo coloca o RS na sexta posição entre estados com mais pontos vulneráveis para exploração sexual em rodovias federais

Estudo coloca o RS na sexta posição entre estados com mais pontos vulneráveis para exploração sexual em rodovias federais

Um estudo divulgado pela Polícia Rodoviária Federal (PRF) em parceria com ONG Childhood Brasil na segunda-feira (15) colocou o Rio Grande do Sul na sexta posição entre os estados com o maior número de pontos vulneráveis à exploração sexual de crianças e adolescentes em rodovias federais.

A divulgação da cartilha faz parte da programação do 2º Congresso Brasileiro de Enfrentamento à Violência Sexual contra Crianças e Adolescentes, que promove debates e palestras sobre o tema até esta quarta-feira (16), em Brasília.

Esses locais foram categorizados de acordo facilidade para a ocorrência do crime, áreas escuras e com pouca fiscalização. O número de pontos aumentou quase 50% nos últimos anos no Rio Grande do Sul.

O levantamento foi feito entre 2013 e 2014, e mapeou 103 locais, sendo que no ano passado esse número aumentou para 154 pontos vulneráveis. As informações são consideradas fundamentais para que o poder público possa traçar as aç~eos de combate à violação dos direitos humanos.

"Os pontos críticos são os que reúnem uma maior quantidade dessas possibilidades", afirma o chefe de comunicação da PRF, Diego Brandão, explicando que o levantamento faz escala de vulnerabilidade.

De acordo com o estudo, os postos de combustíveis são lugares que podem facilitar a exploração sexual, e por isso devem ser o foco de campanhas de conscientização.

A Cartilha Mapear reúne dados de locais potencialmente perigosos para crianças e adolescentes nas rodovias a partir de critérios que representam o grau de periculosidade do local, como prostituição e pouso noturno de caminhoneiros.

São considerados pontos de vulnerabilidade para exploração sexual de crianças e adolescentes todos os locais que apresentem algum risco aos jovens que vivem ou passam pela região. Os mais perigosos são postos de combustíveis, bares, casas de show, pontos de alimentação e pontos de hospedagem – nesta ordem.

O estado que ocupou o primeiro lugar do ranking das estradas mais perigosas para jovens foi o Ceará, com 81 pontos críticos. Em seguida, veio o Goiás com 55 áreas de intensa vulnerabilidade – o Distrito Federal foi incluído no cálculo goiano, mas não gerou dados específicos.

G1



Voltar

Entrevistas

  • Luciano Herbert, representando os caminhoneiros em Tupanciretã
    • Luciano Herbert, representando os caminhoneiros em Tupanciretã

    • 25/05/2018 14:29:50
  • José Domingos, Coordenador do Núcleo da Aprosoja
    • José Domingos, Coordenador do Núcleo da Aprosoja

    • 25/05/2018 14:24:30
  • Fernando Cunha – Presidente do Sindicato Rural de Tupanciretã, Jari e Quevedos
    • Fernando Cunha – Presidente do Sindicato Rural de Tupanciretã, Jari e Quevedos

    • 25/05/2018 14:23:51

Últimos recados

    • 07.05.2018
    • Alex Fernando da Silva
    Gostaria de saber como faço pra colocar um anúncio na rádio Tupã
    • 21.03.2018
    • NEI JOSE DIAS PACHECO
    ALGUNS ANIVERSARIANTES DE HOJE - 21.03.2018 JOAO MARINO DOS SANTOS - TOMATE, LEONARDO CARVALHO, JOSE ROGERIO MACHADO SALLES, CARMEM LUCIA MARTINS PATIAS, GENY SILVEIRA RIBEIRO, CARMEM LOTTI, VIVIAN LOTTI, ENARA GUTERRES. favor divulgar nas sociais, obrigado.
    • 05.02.2018
    • Maria do Carmo Costa
    Antigamente acompanhava todas as notícias da cidade pelo site. Por que agora não tem mais, e quando tem são atrasadas? Fica difícil saber das novidades pela rádio... só bobagens.
    • 19.12.2017
    • Marcelo Peixoto Marques
    Um abraço para minha querida Tupanciretã!
    • 10.12.2017
    • Luíz Veríssimo
    Bom dia um abraço a todos os amigos da minha querida Tupanciretã , ótima programação
    • 02.10.2017
    • Larissa Fernanda
    Oi boa tarde me chamo Larissa Fernanda estou sem contato com o pessoal de Tupã, sou de santo Ângelo e estou tentando ligar pro meu namorado que mora em Tupã, Cristiano Siqueira desde ontem e não consigo contato nem com a família ... aguardo notícias.

Categorias